Cariri Como Eu Vejo

Praticar atividade física reduz dores em pessoas recuperadas do câncer

O câncer é uma doença debilitante para os pacientes, que acabam sofrendo com dores e desconfortos durante o tratamento. Evidências científicas mostram que o estilo de vida levado antes, durante e depois do diagnóstico importa para ao nível de sofrimento físico.

Agora, uma pesquisa feita por cientistas da Universidade de Melbourne, na Austrália, revela que a prática de atividades físicas diminui a intensidade da dor nos sobreviventes do câncer. O estudo foi publicado nesta segunda-feira (12/2), no American Cancer Society Journals.

“A atividade física é uma opção eficaz e não farmacológica para reduzir muitos tipos de dor. Como nosso estudo sugere, isso pode incluir a dor associada ao câncer e seus tratamentos”, disse a pesquisadora Erika Rees-Punia, autora sênior do trabalho.

Benefícios da prática de atividades físicas após o câncer

Os pesquisadores analisaram informações de saúde de 62 mil pessoas – sendo 10.651 adultos com diagnóstico anterior de câncer e 51.439 sem histórico da doença, para comparação.

Os participantes responderam a pergunta: “Como você classificaria sua dor, em média?”. As respostas variavam de zero (sem dor) a 10 (pior dor imaginável). Os voluntários também foram questionados sobre a prática de atividades físicas.

Os resultados mostraram que a maior frequência na prática de atividades físicas está associada a uma menor intensidade de dor. A OMS preconiza entre 150 e 300 minutos de atividade física aeróbica de moderada intensidade por semana ou entre 75 e 150 minutos de atividade física aeróbica vigorosa.

No grupo dos participantes com diagnóstico anterior de câncer, aqueles que fizeram mais atividades físicas do que a quantidade estabelecida pela OMS tinham 16% menos probabilidade de relatar dor moderada a intensa em comparação com aqueles que não tinham o hábito.

Na comparação com as pessoas sedentárias, aquelas que eram consistentemente ativas ou que se tornaram ativas na vida adulta também relataram menos dor.

O oncologista João Nunes, da Oncoclínicas Brasília, explica que tanto a presença do câncer como o tratamento da doença podem provocar a destruição de células e tecidos, desencadeando um processo inflamatório local, além de irritação nas fibras nervosas.

“Tudo isso pode levar a um desconforto percebido pelos pacientes desde uma dormência até dor limitante”, afirma o médico, que não esteve envolvido na pesquisa.

Nunes acredita que estudos como esse trazem respaldo científico para mudanças no estilo de vida dos pacientes mesmo durante o tratamento do câncer. “A atividade física permite liberação de endorfina, além da diminuição de radicais livres circulantes no sangue auxiliando no controle de sintomas”, diz.

Fonte: Metrópoles / Foto: Getty Images

Compartilhe:

Descubra mais sobre Cariri como eu vejo

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading