Cariri Como Eu Vejo

PF vai investigar ida de Jair Bolsonaro à Embaixada da Hungria

A Polícia Federal vai investigar qual seria o motivo da ida do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) à Embaixada da Hungria, em Brasília, após o confisco de seu passaporte pela corporação. Em vídeos de câmeras de segurança obtidos pelo jornal norte-americano The New York Times, é possível vê-lo acompanhado por dois seguranças e pela equipe do embaixador Miklos Tamás Halmai.

Bolsonaro teve o passaporte apreendido durante a investigação de tentativa de golpe de Estado depois das eleições de 2022 em 8 de fevereiro. Quatro dias depois, ele foi ao prédio da representação húngara.

“Bolsonaro, alvo de diversas investigações criminais, não pode ser preso em uma embaixada estrangeira que o acolhe, porque estão legalmente fora do alcance das autoridades nacionais”, diz o NYT.

Segundo o veículo, a presença do ex-presidente na embaixada sugeriria que ele estava tentando alavancar a amizade com o primeiro-ministro Viktor Orbán, em uma “tentativa de escapar do sistema de justiça brasileiro enquanto enfrenta investigações criminais”.

O jornal analisou imagens de três dias de quatro câmeras na embaixada da Hungria, mostrando que Jair Bolsonaro chegou na noite de segunda-feira, 12 de fevereiro, e partiu na tarde de quarta-feira, 14.

Em 2022, durante viagem a Budapeste, Bolsonaro disse que considera o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán, “um irmão, dada a afinidade que temos na defesa dos nossos povos”.

Correio Brasiliense.

Compartilhe:

Descubra mais sobre Cariri como eu vejo

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading