Cariri Como Eu Vejo

Mulher é presa por crime de racismo em churrascaria no Crato

Uma mulher foi presa em flagrante em uma churrascaria no Crato, acusada de proferir injúrias raciais contra outra cliente. A vítima relatou que a acusada a chamou de “negrinha” e fez comentários racistas, afirmando que o lugar de pessoas negras era como escravos.

⚖️ Decisão Judicial: Após uma audiência de custódia, realizada na terça-feira, 13, a mulher foi liberada. No entanto, ficou estabelecido que ela está proibida de se ausentar da cidade e de frequentar o restaurante onde ocorreu o incidente, pelos próximos seis meses.

🚫 Lei 14.532/2023: Desde o ano passado, a lei sancionada pelo presidente Lula equipara o crime de injúria racial ao crime de racismo. A pena aumentou de três meses a um ano de prisão, além de multa, para dois a cinco anos de prisão.

📝 Repúdio do Restaurante:

Em resposta ao incidente, a churrascaria emitiu uma nota pública repudiando veementemente qualquer forma de discriminação racial, reafirmando seu compromisso com a igualdade e o respeito. O estabelecimento se compromete a tomar medidas para garantir que seja um espaço livre de discriminação, promovendo a diversidade, inclusão e justiça.

Diante desse triste acontecimento, a sociedade local reforça sua solidariedade à vítima e reitera sua determinação em combater o racismo em todas as suas manifestações.

Compartilhe:

Descubra mais sobre Cariri como eu vejo

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading