Cariri Como Eu Vejo

Hérnia de disco é a principal causa de afastamento de trabalho no Brasil

A partir dos 30 anos, muitos começam a sentir dores em alguma parte do corpo, pelas atividades físicas ou pela falta dela. Mas, aos 40, grande parte da população começa a sentir dor na coluna. 

A dor é tão comum, que a hérnia de disco foi a principal causa de afastamento do trabalho em 2023, segundo o IBGE. Mais de 5 milhões de brasileiros sofrem com as dores devido à hérnia de disco. 

As hérnias aparecem pelo desgaste dos discos intervertebrais, pequenas estruturas cartilaginosas da coluna, que separam as vértebras. O engenheiro Wilson Lazarini, de 78 anos, teve um pinçamento no nervo ciático e mal conseguia enfrentar o dia sem dor. “Era horrível, nem mexia a perna esquerda”, afirma. 

Ao menos 25% dos brasileiros têm dor crônica em alguma parte do corpo, aquela que persiste e que não vai embora nunca. Em muitos casos, a recomendação é fazer uma cirurgia para corrigir a dor. 

Nos Estados Unidos, um paciente com problemas de coluna passa em média por cinco médicos e pelo menos um indica cirurgia. No Brasil, não é tão diferente. O designer digital Rodolfo de Souza passou por cinco médicos, quatro indicaram cirurgia para ele. 

“Fui diagnosticado com duas hérnias de disco na cervical e também fibromialgia. Elas estavam pressionando a minha medula, então estava pegando todos os nervos do braço, então com isso eu estava perdendo a função e sentia muita dor”, conta. 

Uma reabilitação bem feita, acompanhada de um profissional, é decisiva para enfrentar a dúvida. Há centros que fazem programas de prevenção à cirurgia de coluna. Benjamin Apter, ortopedista responsável por um desses centros, fala do sucesso do local. “Aproximadamente 50% dos clientes que tiveram indicação cirúrgica, a gente consegue reverter”, explica. 

Quase 30% das pessoas que operam a coluna terão indicação para operar de novo, em até 2 anos. Por isso, o trabalho de reabilitação surge para evitar operações. “O paciente passa por fases, então fazemos quiropraxia, aliviamos a dor do cliente, depois passa por exercícios funcionais para liberar o movimento e ter mais alongamento ou mais flexibilidade, aumentar o espaço intra-articular e, finalmente, o que é mais importante para ele, o fortalecimento”, diz Benjamin Apter. 

Fonte:Band

Compartilhe:

Descubra mais sobre Cariri como eu vejo

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue reading