Cariri Como Eu Vejo

Hemorrede do Ceará é a primeira do Brasil a ser certificada para envio de plasma industrial

O Ceará se tornou o primeiro estado do país a contar com todas as unidades de uma hemorrede pública certificada para o fornecimento de plasma industrial para a Empresa Brasileira de Hemoderivados e Biotecnologia (Hemobrás). A certificação veio após a unidade regional de Crato do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Ceará (Hemoce), receber aprovação da Hemobrás para iniciar o fornecimento de plasma excedente para a indústria, ou seja, aquele que não seria utilizado em transfusões. Agora, todos os postos do Hemoce no estado estão habilitados para o envio.

Desde 2022 o Centro envia plasma para a Hemobrás. A primeira unidade certificada foi a sede em Fortaleza que fornece o material coletado pela capital e pelo Hemoce Quixadá. No mesmo ano, o Hemoce Sobral também passou a enviar plasma para a indústria. Os hemocomponentes direcionados à Hemobrás serão usados na produção de hemoderivados como albumina, por exemplo – fundamental no tratamento de pacientes do SUS.

Auditoria de certificação

O Hemoce passou por auditoria da Hemobrás e Octapharma para a permissão. As áreas que fazem parte do chamado “ciclo do sangue”, avaliados para a emissão do certificado são: atendimento ao doador, hemovigilância, processamento, controle de qualidade de hemocomponentes, processo de liberação do sangue para armazenamento e distribuição. O sistema da gestão de qualidade, recursos humanos, tecnologia da informação e almoxarifado também foram avaliados. A auditoria aconteceu em setembro do ano passado e em janeiro deste ano veio a aprovação.

“É muito gratificante para a equipe e doadores do Hemoce saberem que todo o sangue doado aqui na instituição está sendo encaminhado para pacientes que necessitam de transfusão e para a produção de hemoderivados, que podem retornar para a população atendida pelo SUS, por meio dos medicamentos que são produzidos”, explica a diretora-geral do Hemoce, Luciana Carlos.

Frederico Monteiro, chefe de serviço de relacionamento com a Hemorrede da Hemobrás, destaca o pioneirismo do Hemoce e a importância para o Brasil desses envios. “Foi com grande satisfação que a Hemobrás confirmou a hemorrede do estado do Ceará como a primeira do país a ser totalmente qualificada para o fornecimento de plasma excedente de uso hemoterápico para fracionamento industrial. Isto demonstra o comprometimento da hemorrede do Ceará no desenvolvimento da Política Nacional de Sangue, Componentes e Hemoderivados com a finalidade de garantir a autossuficiência no processo de produção nacional de hemoderivados para o Sistema Único de Saúde (SUS)”, reconhece.

Transporte e produção de medicamentos

As bolsas de plasma são transportadas até a sede da Hemobrás, em Goiana (PE), e mantidas em câmara fria a -35º C. O material passa por um processo de análise para que sejam verificados parâmetros de qualidade, considerados pré-requisitos para a aptidão à produção de hemoderivados, conforme as Boas Práticas de Fabricação (BPF). Após o estudo, o plasma é exportado para fracionamento no exterior e retorna ao País como hemoderivados.

Depois, os medicamentos são distribuídos aos pacientes do sistema público de saúde que necessitam desses hemoderivados, como portadores de hemofilia e de outras doenças. “O fortalecimento da produção de hemoderivados é um grande ganho para todos os brasileiros que precisam desses produtos, especialmente para os pacientes do Programa de Coagulopatias Hereditárias”, afirma Luany Mesquita, diretora de Hematologia do Hemoce.

Compartilhe:

Descubra mais sobre Cariri como eu vejo

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue lendo