Cariri Como Eu Vejo

Cariri terá 1ª Marcha de Pessoas Trans do sul do Ceará

Para marcar as duas décadas da campanha

O evento está marcado para sexta-feira 26 de janeiro no Crato.

Para marcar as duas décadas da campanha “Travesti e Respeito” no Congresso Nacional, o Coletivo Trans Masculines e amigas, amigos e amigues da causa LGBTQIAPN+ organizaram a primeira Marcha de Pessoas Trans do sul do Ceará. A Marcha terá concentração na praça São Vicente, a partir das 16h, no centro do Crato, onde serão realizadas ações como a colagem de lambes, leitura do manifesto em que apresenta as reivindicações atuais das necessidades das pessoas trans e travestis do Cariri e apresentação de músicas que retratam as vivências das pessoas protagonistas deste movimento.

“Será um momento histórico, para dar visibilidade e protagonismo a pessoas trans e travestis da nossa região. Para o nosso coletivo, essa é uma forma necessária na busca por pela desnaturalização das violências que têm sido frequentes na vida dessas pessoas”, informa o ativista não binárie, Charlie Renatti, um dos idealizadores do evento.

O objetivo é mostrar a existência e necessidades para toda a sociedade, principalmente para o poder público. É uma iniciativa que conta com o planejamento e a organização do Coletivo Trans Masculines do Cariri, em parceira com a Casa da Diversidade Cristiane Lima, com apoios de Associações, Organizações Sociais, Movimentos Sociais e Pessoas da Sociedade Civil que são aliadas da causa LGBTQIAPN+ do Cariri.

Direito de Viver

A marcha tem como temática a busca pelo direito de viver, negado às pessoas trans e travestis quando não há respeito e inclusão em diversos setores da sociedade: no atendimento básico de saúde, nas instituições de ensino pública e particular, no mercado de trabalho, na violação do nome social após a morte, pelos assassinatos recorrentes e por toda a transfobia.

De acordo com dados do Observatório Cearense de Mortes e Violências contra LGBTI+ e Rede Trans Brasil, o Ceará teve 12 notificações de assassinatos a pessoas Trans e Travestis, em 2023, sendo o terceiro estado com maiores registros, estando atrás de São Paulo e Rio de Janeiro.  

Em relatório divulgado pela Associação Nacional de Travestis e Transexuais (ANTRA), o Brasil continua sendo campeão de desrespeito e violência com pessoas trans. Pelo décimo quarto ano seguido. O Brasil continua sendo o país que mais mata pessoas destes gêneros no mundo.

Homenagens

A marcha fará homenagem à memória de Pâmela Pamanerk (travesti – 2017+), Tiago da Silva (homem trans – 2023+) e Catarina (mulher trans – 2023+), pessoas assassinadas entre seus 27 a 30 anos de idade, e ainda assim tiverem seus nomes de registros expostos pela mídia, os nomes que em vida lutaram para enterrar.

A marcha também será realizada em nome de todas as pessoas trans e travestis que já partiram e por todes que vivem no Cariri, numa forma de manifestar o repúdio e apresentar nossas reivindicações pelo Direito de Viver, porque não basta só existir sem a garantia de direitos.

Programação Artística

Artistas trans e travestis serão protagonistas, com performances e apresentações de sua arte e talentos. Farão parte da programação:
– Indja Janine – Cantora e Performer
– Naomi Houston – Performer e Bailarina
– Nanny Seven – Cantora e Performer
– LS MC – Poeta e Compositor
– Ayla Gaby – Artista Circense e Educadora
– Wiarlley Spears – Cantora e Compositora
– Thallyta Mesquita – Dançarina e Performer
– Charlie Renatti – Dj e Poeta

Programe na sua agenda

O quê: 1ª Marcha Trans do Cariri
Quando: 26/01/24, às 19h
Onde: Praça São Vicente com chegada à Praça Siqueira Campos, no centro do Crato
Quem: o convite é para todas, todos e todes

Compartilhe:

Descubra mais sobre Cariri como eu vejo

Assine agora mesmo para continuar lendo e ter acesso ao arquivo completo.

Continue lendo