Várzea Alegre: Chuvas fortes voltam a provocar enchentes em Canindezinho

Notícias

As chuvas da madrugada desta quarta-feira, 16 de março, voltaram ao centro das preocupações em Várzea Alegre.

Na sede do município a chuva foi de 100mm, mas, na região do distrito de Canindezinho, as chuvas voltaram com intensidade. Na comunidade de Caiçara, no distrito, foram registrados 150mm e um açude ameaça romper.

O prefeito Zé Helder (MDB), acompanha desde cedo os resultados das chuvas de hoje. Ele esteve na Caiçara onde as máquinas da Secretaria de Infraestrutura trabalham para evitar o rompimento da barragem.

No sítio Exu, também em Canindezinho, mais uma barragem se rompeu. Também há rompimentos de aterros de estradas.

No Canindezinho, 54 famílias estão desalojadas e 1 família está desabrigada.

A Defesa Civil de Várzea Alegre e a Secretaria de Assistência Social atualizam a situação das famílias atingidas pelas chuvas e deve divulgar relatório na tarde desta quarta-feira.

Várzea Alegre Solidária

O prefeito Zé Helder articulou e lançou nesta terça-feira, 15, a campanha “Várzea Alegre Solidária”, para arrecadar dinheiro, alimentos e donativos para doação às famílias vítimas das enchentes.

Participam da campanha o Gabinete do Governo Municipal, Câmara de Vereadores, Sociedade São Vicente de Paulo (Vicentinos), Lions Club, CDL – Câmara de Dirigentes Lojistas de Várzea Alegre, FAMUVA – Federação das Associações de Várzea Alegre e Setor Empresarial.

Foi criado um comitê de gestão da campanha, aberta uma conta específica na Caixa Econômica Federal e as doações podem ser feitas por meio de depósitos, transferências e por PIX. Outras doações são recebidas na sede da Secretaria de Assistência Social, no CSU – Centro Social Urbano Lourival Clementino do Nascimento, no bairro Juremal. Para mais informações sobre a campanha foi disponibilizado o telefone (88) 99467-5762 – Assistência Social.

Doações:

CAIXA ECONÔMICA FEDERAL

Agência – 4413

Operação – 013

Conta – 18866-0

PIX

06205072000151 (CNPJ)

Fim da trégua

No sábado, 12, as enchentes tomaram estradas, romperam barragens e invadiram residências. Como não choveu nos últimos três dias – domingo (13), segunda (14) e terça (15), as águas estavam baixando e os moradores contabilizando prejuízos. A trégua encerrou nesta madrugada.

Assessoria de Comunicação

Reportagem: Marco Filho

Foto: Fábio Oliveira

Deixe o seu comentário