Polícia entra em arena e detém organizadores de vaquejada clandestina

Notícias

Quatro organizadores de uma vaquejada foram detidos e levados para a delegacia porque realizaram o evento com animais mesmo com proibição, na tarde deste domingo (8/5) em Angatuba, interior de São Paulo.

Decisão judicial proibiu o evento, mesmo tendo alvará da prefeitura, porque não estava sendo cumprido uma série de quesitos, como a presença de um veterinário para garantir o bem-estar animal, fiscalização de maus-tratos e controle de doenças.

A decisão ainda previa uma multa de R$ 100 mil em caso de descumprimento. Ainda assim, os organizadores preferiram realizar o evento entre sexta-feira (6/5) e domingo. A competição foi batizada de “1ª Grande Vaquejada pela Paz”.

“Eles falaram que iam pagar a multa e continuar fazendo o evento. Infelizmente, a multa não teve o poder de intimidar os organizadores”, explicou a delegada Júlia Nunes Machado ao Metrópoles.

Competição interrompida
No início da tarde de domingo, a delegada foi até o evento com apoio da Polícia Militar e da Guarda Civil. “Invadi a arena para que eles parassem a prova. Os quatro organizadores que já tinham sido identificados foram conduzidos para a delegacia para abrir boletim de ocorrência contra eles”, explicou a delegada.

Entre os organizadores, também foi detido o proprietário da empresa que filmava a prova. Ele não quis entregar as gravações que comprovam a desobediência. Uma ação civil pública está em andamento no Ministério Público, que foi proposta por uma organização de defesa dos animais.

Uma nova decisão judicial no domingo aumentou a multa para R$ 1 milhão e determinou a busca e apreensão dos materiais de filmagem. Os animais, 50 bovinos e 73 equinos, foram apreendidos e estão sob responsabilidade da prefeitura.

Via Metrópoles

Deixe o seu comentário