Ônibus que estava a serviço da Buser é apreendido em Juazeiro do Norte

Cariri

Na noite desta quinta-feira (4 de novembro), por volta das 20h30min, um ônibus que estava a serviço da Buser foi apreendido em Juazeiro do Norte. O veículo tinha como destino Fortaleza, e após a apreensão por parte do Detran, o ônibus seguiu para a rodoviária, onde segundo passageiros repassaram à reportagem, a empresa comprou as passagens e os clientes seguiram viagem pela Expresso Guanabara, que tem autorização para fazer o transporte intermunicipal de passageiros no Ceará através da linha regular Juazeiro do Norte / Fortaleza

Entrevista do presidente da ARCE à Rádio O POVO CBN

A Buser, startup de transporte rodoviário, que começou a atuar no Ceará em setembro, “está à margem da lei”. É o que disse o presidente da Agência Reguladora do Estado do Ceará (Arce), Matheus Teodoro, em entrevista à Rádio O POVO CBN, no dia 11 de outubro. Questionado pelo jornalista Jocélio Leal quanto à atuação dos ônibus da Buser no Ceará, Matheus disse que o modelo da empresa não se adéqua ao processo vigente no Estado, que é licitatório, e portanto, segundo ele, não é razoável que uma empresa que teve que se adequar aos editais e fiscalizações, concorra com um serviço que não é regulado. Para o presidente da Arce, a solução para a Buser é passar por uma regulamentação, semelhante ao processo que ocorreu com a Uber em Fortaleza.

Nota da Buser sobre apreensão em Juazeiro do Norte

Maior plataforma brasileira de intermediação de viagens de ônibus, a Buser afirma que o veículo apreendido pelo Detran em Juazeiro do Norte (CE) contava com todas as licenças necessárias para realizar a viagem, como é padrão em toda frota das fretadoras parceiras da plataforma.

A Buser reforça que seu modelo de negócio é legal, justo e necessário para a moderna cadeia da mobilidade urbana. O próprio Supremo Tribunal Federal, no julgamento da ADPF 574, reconheceu a legalidade da atuação da Buser. Na mesma ação, a Procuradoria-Geral da República e a Advocacia-Geral da União também se manifestaram de forma favorável à modalidade inovadora.

Importante ressaltar, ainda, que tanto a startup quanto as parceiras de fretamento pagam todos os impostos, gerando receita aos cofres públicos e benefícios aos usuários. Por isso, continuaremos trabalhando pela inovação, e promovendo o arejamento necessário para que haja a modernização da legislação.

Por: Gazeta do Cariri

Deixe o seu comentário