“Na alegria e na tristeza, na riqueza e na pobreza”: conheça a história de amor e de empreendedorismo do casal Cratense que criou a maior pastelaria artesanal da região

Notícias

Milena Coimbra e Felipe Ferraz, criadores da marca “Deu Fome Pastéis Artesanais” se conheceram pela internet e começaram o negócio juntos com 15 reais há quatro anosm

Em novembro de 2018, a então desempregada, Milena Coimbra, da cidade de Crato/CE, se separou do ex-marido, relacionamento no qual teve um filho. Mãe solteira, ela achava que iria passar fome e, na época, não sabia o que ia fazer da vida para sustentar o filho de dois anos. Ela tinha duas opções: voltar para um relacionamento, segundo ela, fracassado, com mentiras e traições, ou seguir em frente.

“Parei, pensei, esfriei a cabeça, respirei fundo e fui trabalhar. Iniciei vendendo roupa, joias, kit escolar e bolo de pote, que ao final do mês dava em torno de R$ 440,00 por mês”, disse. Em fevereiro de 2019 Milena conheceu, pela rede social instagram, Felipe Ferraz. Um homem, segundo ela, amoroso, gentil, carinhoso, batalhador e sonhador.

“Ele é tudo o que eu sempre desejei para a minha vida, é isso tudo aconteceu apenas com um clique de amizade pelo _Instagram_. Nós conversamos e em março do mesmo ano, um mês depois, ele, que é de São Paulo, veio para o Cariri. Quando chegou ao Ceará, tanto eu quanto ele estávamos desempregados, mesmo procurando emprego não encontramos nada”, destacou.

Milena teve a ideia de vender salgados na rua, pois já tinha trabalhado com preparação de salgados e buffet. O valor inicial para preparar os primeiros salgados foi de R$ 15,00, que de início seria para a compra dos itens para o almoço. Na ocasião foi adquirido um pacote de massa e um pacotinho de carne moída. Ela fez os pastéis e Felipe foi para a rua vender. “No primeiro dia fizemos R$ 60,00, com isso compramos material novamente e fizemos R$ 150,00 no outro dia. Assim os clientes foram gostando e surgiu a necessidade de um espaço físico”, lembrou.

O casal se mudou para uma casa melhor e começaram a atender presencialmente. Em julho de 2019 ocorreu a cerimônia de casamento. “Ele foi a bondade, a ousadia e a humildade de vender de porta a porta. Eu a coragem, a persistência, resiliência, o foco de conquistar o Cariri”, explica.

Em setembro de 2019 o pai de Milena morreu vítima de um infarte fulminante decorrente de uma diabete não descoberta a tempo, o que naquele momento foi um baque emocional. “Meu mundo caiu, eu achei que fosse morrer. Então acabei desistindo de tudo. Eu quase entrei em depressão”, ressaltou.

Após alguns meses e já mais conformada com a partida precoce do pai, o seu filho de 6 anos havia herdado a moto do avô, foi então começaram as entregas por delivery. “Antes as entregas aconteciam a pé, de moto táxi ou de topique. A moto foi confiscada em 2022 pelo Departamento Municipal de Trânsito (Demutran). Foi outra perca grande, não pelo valor material, mas pelo emocional”, disse.

Um ano depois, com muito trabalho, a sua empresa, a Pastelaria e Cia, que vende produtos artesanais, foi possível comprar um carro. Em outubro de 2021 nasce o primeiro filho do casal, uma menina. Em março de 2022 realizam mais um sonho, a cervejaria Deu Fome, segunda empresa montada pelos dois, com oferta de cervejas, hamburguer e petiscos, que já ganhou quatro vezes na votação popular como a melhor pastelaria da região.

Deixe o seu comentário