Forças de Segurança salvam vítima de acidente de trânsito em Lavras da Mangabeira

Notícias

A rapidez de profissionais das Forças de Segurança da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) salvou um homem de 39 anos, vítima de um acidente de trânsito em Lavras da Mangabeira, na Área Integrada de Segurança 21 (AIS 21) do Ceará. O acidente ocorreu na BR-230, após uma colisão frontal entre um automóvel e um ônibus, nas primeiras horas desta sexta-feira (18). A atuação de equipes do transporte aeromédico da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), da base de Juazeiro do Norte, de bombeiros militares do Corpo de Bombeiros do Estado do Ceará (CBMCE) e do Batalhão de Polícia de Trânsito Urbano e Rodoviário Estadual (BPRE) da Polícia Militar do Ceará (PMCE) foram importantes para a retirada de um homem de 39 anos, uma criança de três anos e de uma mulher ainda não identificada, que foi a óbito no local.

O homem ficou preso às ferragens e apresentava múltiplas fraturas e lacerações no corpo. Devido ao estado grave da vítima foi necessário, que durante o salvamento, equipes da Ciopaer e do Corpo de Bombeiros do Ceará utilizassem desencarceradores e ferramentas de expansão para realizar cortes na estrutura do veículo. A ação exitosa salvou o homem, que devido ao estado grave, foi conduzido a um hospital de alta complexidade em Juazeiro do Norte (AIS 19). Já a criança foi conduzida para uma unidade de saúde da região por uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

O trajeto entre os municípios de Lavras da Mangabeiras (AIS 21) e Juazeiro do Norte (AIS 19) durou cerca de 19 minutos. Se o transporte ocorresse por meio terrestre, o percurso teria sido feito em cerca de uma hora e quarenta minutos. A rapidez no trajeto pela aeronave Fênix 7 contou a cada segundo no tempo de resposta no quadro clínico do homem. O acionamento da aeronave se deu a partir do agravamento do estado de saúde do paciente, que apresentou múltiplas lacerações graves. Essa é uma condição médica que pode ocasionar hemorragia interna e desestabilizar o quadro clínico da vítima.

“Fomos acionados para atender um acidente com choque frontal entre um carro e um ônibus. Uma criança de três anos foi transferida para o hospital, uma vítima estava grave e outra foi a óbito no local. O condutor estava preso às ferragens e fizemos o uso do equipamento de desencarceramento para a retirada das colunas do veículos, e do expansor do CBMCE para facilitar a retirada do paciente. Ele foi retirado e apresentava várias escoriações. Depois, o homem foi conduzido para o hospital de alta complexidade, onde foram realizados os primeiros cuidados e exames de imagem”, explica Adriano Antunes, médico da Ciopaer que realizou atendimento à vítima.

Além da atuação da equipe do aeromédico e dos bombeiros militares no salvamento, cada minuto foi importante. Durante o voo, o paciente seguiu bem, graças às condições da aeronave e dos equipamentos, bem como dos profissionais do aeromédico, formado por um médico, um enfermeiro, um tripulante e dois pilotos.

Transporte aeromédico

As aeronaves da Ciopaer são dotadas de UTI aérea e atuam com médico e enfermeiro a bordo. O transporte aéreo é utilizado para reduzir o tempo de deslocamento entre as cidades por vias terrestres e agilizar a prestação de socorro aos pacientes mais debilitados.

Deixe o seu comentário