Defensora que chamou entregador de macaco tem 5 processos de injúria racial

Notícias

A defensora pública aposentada Cláudia Alvarim Barrozo, 59, gravada agredindo verbalmente entregadores negros, no último sábado (30), em vídeo em que chama um deles de ‘macaco’, em um condomínio de luxo de Niterói (RJ), tem cinco passagens anteriores pela polícia por injúria racial.

Além disso, a reportagem do UOL apurou que as investigações tiveram início em 2014 e que há ainda uma sexta anotação policial antes do caso deste final de semana, mas por lesão corporal e constrangimento.

Claudia Barrozo foi intimada a prestar esclarecimentos na tarde desta quinta-feira (5) na 81ª DP (Itaipu), porém alegou que já tinha “compromissos” e pediu para que a ouvida fosse adiada para a semana que vem.

Deixe o seu comentário