CRM vai investigar circunstâncias da morte de paciente ironizada nas redes sociais por estudante de medicina em AL

Notícias

O Conselho Regional de Medicina vai investigar as circunstâncias em que ocorreu a morte da paciente que foi ironizada nas redes sociais por uma estudante de medicina do Centro Universitário Cesmac. A mulher morreu na Unidade Mista Dr. José Carlos de Gusmão, no município de Marechal Deodoro, onde a estudante faz estágio. A informação foi repassada ao g1 nesta quinta-feira (10).

“Estamos apurando se havia um médico responsável no local e, como ela colocou essa mensagem no Instagram, queremos saber se o responsável sabia e se isso de alguma forma afetou o tratamento da paciente”, disse o presidente Fernando Pedrosa.
Ainda segundo Pedrosa, o CRM não investiga a conduta da estudante. “Isso cabe ao colegiado da faculdade onde ela estuda, que deve julgar essa conduta.

Nós vamos apurar se ela era supervisionada e quais foram as causas da morte da paciente”, afirmou.
A estudante foi afastada das suas funções acadêmicas. Na tarde desta quinta, haverá uma reunião com o Conselho Superior, que vai definir o futuro da estudante de medicina, ou seja, se ela segue afastada por seis meses ou se terá outras punições.

Entenda o caso

Na rede social, a jovem reclama da chegada de uma paciente com edema agudo no pulmão bem perto da hora de seu descanso. Em seguida, ela atualiza o post dizendo “a mulher morreu e eu não dormi”.

Ela fez uma foto onde aparece o nome da paciente e os procedimentos realizados. E escreveu um texto com a reclamação. “Faltando 10 min para minha hora de dormir, chega mulher enfartando e com edema agudo de pulmão, e agora já passou 1:30 da minha hora de dormir, tô puta”.
Na postagem seguinte, a estudante fez uma selfie com sinal de legal e escreveu “Atualizações: a mulher morreu e eu não dormi”.

Foto: Reprodução/Redes sociais / Fonte: G1

Deixe o seu comentário