Com parques eólicos, Nordeste garante energia a outras regiões do Brasil

Neste Dia do Nordestino (8 de outubro), nada como exaltar as riquezas e grandezas de uma região produtiva, cuja economia cresce e gera oportunidades.

- continua depois da publicidade -

------

E uma das potencialidades de maior valia do Nordeste é a geração de energia limpa. Os ventos que sopram por essas bandas estão entre os melhores do mundo para produzir energia, e os raios de sol que banham os estados nordestinos são tão prolíficos quanto.

Com esse dueto abundante, o Nordeste vem sendo crucial para garantir energia não só para a própria região, como para irrigar o restante do País.

Foi assim em 2021, quando a energia eólica produzida aqui praticamente salvou o Brasil de um racionamento, durante a mais severa crise hídrica em um século.

EXPORTAÇÃO DE ENERGIA

De acordo com Joaquim Rolim, Coordenador de Energia da Fiec (Federação das Indústrias do Ceará), o Nordeste se transformou em um exportador de energia em 2020, ou seja, socorre as demais regiões, como o Sudeste, em situações de escassez hídrica e insegurança energética.
Em 2020, foram exportados quase 10.000 GWh (Gigawatts-hora) e, em 2021, mais de 20.000 GWh.

- publicidade -

------

Essa transferência de energia é feita pelos pontos de produção e transmissão que estão conectados ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

O SIN detém uma malha de transmissão que permite o compartilhamento entre os quatro subsistemas:

Sul
Sudeste/Centro-Oeste
Nordeste
Norte.

Mais de 85% da energia eólica do Brasil é gerada no Nordeste. Esse domínio cresce com a expansão dos investimentos. A Região possui mais de 600 parques eólicos, com destaque para Rio Grande do Norte e Bahia.

RANKING DA ENERGIA EÓLICA

Rio Grande do Norte: 6,7 GW / 219 parques
Bahia: 6 GW / 227 parques
Ceará: 2,5 GW / 97 parques
Piauí – 2,4 GW / 83 parques

E há ainda grande expectativa quanto à instalação dos multibilionários empreendimentos eólicos em alto-mar (offshore), que elevarão a capacidade de geração energética a níveis jamais vistos, inclusive viabilizando a produção de hidrogênio verde para exportação à Europa, outro grande trunfo do Nordeste para o futuro.

Foto: Natinho Rodrigues / Fonte: Diário do Nordeste

Contents

Deixe o seu comentário