Com ou sem carnaval, sempre é tempo de falar sobre as Infecções Sexualmente Transmissíveis

Saúde

Com o objetivo de prevenir as infecções sexualmente transmissíveis, mesmo sem haver o feriado e as festas de carnaval, a Associação Caririense de Luta contra Aids, em parceria com a unidade SESC Juazeiro, intensificarão nesta semana os esforços de conscientização da população.

A ação tem como objetivo o incentivo ao uso do preservativo durante as relações sexuais, proporcionando assim educação em Saúde, bem como a busca pelos testes rápidos e a importância do tratamento precoce. Para isso serão realizadas ações de conscientização, além de distribuição de kits e de autotestes. Além do mais, para essa campanha serão disponibilizados 20.000 preservativos masculinos e femininos e folders; além da realização de testes rápidos de Hepatites B e C, HIV e Sífilis, entre os dias 18 e 28 de fevereiro.

*Onde acontecerá?*

No Cariri, as ações serão concentradas nos municípios de Juazeiro do Norte, Crato e Lavras da Mangabeira, onde a associação tem sede e desenvolve ações. Contam com o apoio da AIDS Healthcare Foundation (AHF Brasil) e da estratégia Viva Melhor Sabendo, do Ministério da Saúde e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

A partir desta terça-feira, 22, acontecerá também a ação de lançamento da PARADA DA PREVENÇÃO, simultaneamente a abordagem orientada, com distribuição de preservativos e retirada de autotestes de Imunodeficiência Humana (HIV) nas nove estações do metrô do cariri e ainda a fixação de dispensadores de preservativos que, a partir desta data, passam a ofertar gratuitamente os insumos aos usuários do serviço.

*Números no estado do Ceará e no Cariri*

Na divisão territorial do Ceará, o último boletim epidemiológico da Sesa explica que as regiões de saúde Norte e Sertão Central tiveram redução da Aids, e Fortaleza e Litoral Leste mantiveram estabilidade. A única com aumento foi a do Cariri, cuja taxa de detecção passou de 2,1 para 10,3 a cada 100 mil habitantes, entre 2009 e 2020. Ainda segundo o mesmo boletim epidemiológico 2021 foi encerrado com 92 casos de HIV e 30 casos de AIDS na superintendência do Cariri. No Ceará em 2021 foram 245 óbitos.

Segundo Ronildo Oliveira, voluntario da Associação Caririense de Luta contra Aids e Associação Beneficente Madre Maria Villac (ABEMAVI), os últimos boletins mostram que as maiores taxas de infeções estão na população jovem, e vale lembrar que todos somos vulneráveis, e que a cada ano no Ceará morrem quase 300 pessoas ainda associado ao HIV/Aids. “Por isso, mesmo não tendo carnaval, iremos intensificar as ações de conscientização, prevenção e diagnóstico precoce para que todos possam estar atentos que a melhor prevenção as Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST´s), é o uso de preservativos”, disse.

Mais informações,

Assessoria Commonike

Deixe o seu comentário