Câncer de ovário é a quinta principal causa de morte entre mulheres no Brasil

Notícias Cariri Juazeiro do Norte

Médico caririense orienta sobre prevenção e tratamento para o tumor que acomete 1 em cada 78 mulheres

De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), o câncer de ovário é o segundo tumor ginecológico mais frequente em mulheres, ficando atrás apenas do câncer de colo uterino, e ocupa o quinto lugar em mortes por câncer entre mulheres. Apesar de ser um dos mais frequente, o tumor é de difícil detecção, o que diminui as chances de remissão das pacientes

“O câncer de ovário é a principal causa de morte em mulheres diagnosticadas com câncer ginecológico. É também a quinta causa de morte mais frequente em mulheres, em geral. Em 2020, tivemos aproximadamente 21.750 novos casos de câncer de ovário, o que representou 1,2% de todos os casos de câncer. Apenas 15,7% dos casos de câncer de ovário são diagnosticados no estágio inicial e cerca de 58% no estágio de metástase, onde a sobrevida em 5 anos cai para 30,2% em vez de 92,6% se detectada em um estágio inicial”, explica o cirurgião oncológico Dr. Diego Santos.

A incidência do câncer de ovário é maior em mulheres com infertilidade. Alem disso, histórico familiar de cânceres de ovário e de mama e excesso de gordura corporal também são fatores de risco para o desenvolvimento do tumor.

O especialista aponta que o câncer não possui sintomas específicos o que dificulta o tratamento precoce “Os sintomas do câncer de ovário são inespecíficos e, portanto, podem ser facilmente ignorados em um estágio inicial, pois os sintomas podem ser atribuídos a outras doenças. Os sintomas geralmente se tornam aparentes no estágio tardio (estágio III ou IV). Os sintomas de apresentação incluem uma combinação de plenitude abdominal, distensão abdominal, náusea, distensão abdominal, saciedade precoce, fadiga, alteração nos movimentos intestinais, sintomas urinários, dor nas costas, dor durante a relação sexual e perda de peso”

O tratamento é realizado com cirurgia ou quimioterapia “o tratamento para o câncer de ovário em estágio inicial é a cirurgia para remover o tumor. Na maioria das vezes o útero, ambas as tubas uterinas e ambos os ovários são removidos, a necessidade de complementação será definida após a cirurgia. A quimioterapia é outra fonte de tratamento extremamente importante e o momento exato é primordial, principalmente em fases mais avançadas, se a quimioterapia funcionar e a mulher ficar mais forte, pode ser feita uma cirurgia para diminuir o câncer, geralmente seguida de mais quimioterapia”, finaliza o Dr. Diego Santos.

Por Commonike Assesoria

Deixe o seu comentário