Moradores de um bairro no Crato instalam câmeras de segurança para inibir crimes

Temendo assaltos e furtos, moradores do bairro Mirandão, em Crato, estão instalando um sistema de videomonitoramento particular, que será integrado às forças de segurança do Município. Inicialmente, dez câmeras com produção de imagens em alta definição, 360º e funcionamento 24h por dia serão instaladas até o próximo dia 10 de outubro em pontos estratégicos daquela localidade.

O projeto teve adesão de 146 moradores e foi batizado de “Mirandão Monitorado”, a iniciativa partiu da Associação dos Moradores do Mirandão e Conjunto Conviver (Ammicc), com intuito de diminuir a sensação de insegurança e coibir os casos de assaltos e furtos no bairro. 

Segundo o presidente da Ammicc, o advogado Rhuan Maia, o sistema vem, a princípio, como forma de prevenção, apesar de reconhecer que o bairro já foi alvo de furtos e roubos. “O bairro é relativamente calmo, mas [ocorrências] tem crescido nos últimos anos”, justifica.

A partir de uma reunião virtual no último mês de abril, a associação assumiu a responsabilidade de instalar as câmeras, indo de porta em porta, buscando os moradores interessados. A meta é conseguir 200 famílias interessadas, o que ampliaria a iniciativa para 15 câmeras espalhadas. 

Na sua avaliação, este sistema vai auxiliar na prevenção de crimes e auxiliar em investigações. “Basta ir na empresa ou na guarda municipal, que terão acesso às imagens”, reforça. As imagens das câmeras também poderão ser acessadas, por meio de aplicativo, pelos próprios moradores que aderiram ao projeto.

HISTÓRICO DE CASOS

Moradora do bairro Mirandão há 32 anos, a professora Márcia Machado aderiu e comemorou a chegada dos equipamentos. “Minha casa já foi alvo de furto, mas não aconteceu nada conosco. Como o bairro tem crescido bastante, vem também a violência. Por isso, estou muito satisfeita. É uma segurança a mais, já que aqui tem um grande fluxo de carros que aumentou com a nova estrada que dá acesso à estátua [Mirante de Nossa Senhora da Fátima]”. 

Outros casos de violência também já foram registrados no bairro. Em 2017, um tiroteio no cruzamento das avenidas Perimetral Dom Francisco e Chagas Bezerra deixou duas pessoas mortas e outras duas feridas. As vítimas eram suspeitas de envolvimento em assaltos a bancos.  

O bairro também já foi alvo de roubos. Ano passado, dois adolescentes tentaram render um comerciante de verduras e frutas e, através das imagens de câmeras no local, os policiais conseguiram identificá-los. Ainda em 2020, uma família foi feita de refém no bairro Barro Branco, localidade vizinha ao Mirandão. A ação criminosa envolveu um homem e dois adolescentes, que chegaram a trocar tiros com a polícia. 

INSTALAÇÃO

Pelo alto custo de instalação do videomonitoramento, aproximadamente R$ 40 mil, a comunidade optou pela locação, no qual cada morador que aderiu pagará, mensalmente, o valor R$ 35. No pacote, a empresa vai oferecer a patrulha motorizada para fazer a ronda em todo o bairro e dar segurança aos próprios equipamentos. 

A grande diferença é que o sistema implantado no Mirandão estará integrado ao Centro Integrado de Operações e Emergências Municipais (CIOEM).

“Nesta modalidade, com parceria entre comunidade e poder público, nossa iniciativa é pioneira. A gente tem conhecimento de outras ações, mas a central de dados fica na casa dos próprios moradores e isso gera um risco. No nosso caso, a central ficará com a força de segurança e a empresa”, destaca Rhuan. 

O secretário de Segurança Pública de Crato, José Jarbas Aguiar, explica que o sistema será integrado ao monitoramento do município, que já existe com 13 câmeras funcionando nas principais praças e pontos turísticos da cidade, como a estátua de Nossa Senhora da Fátima.

“Nós vamos incorporar e ter acesso a estas imagens. Claro, sabemos que é dever do Estado garantir a segurança, mas a comunidade tem o direito de fazer parte da segurança pública”, reforça. No Crato, ainda existem 16 câmeras que integram o sistema de monitoramento do Estado. 
A partir desse incremento, Jarbas acredita que terá mais um instrumento de prevenção criminal. “Com a comunidade cooperando com as forças, o resultado será positivo contra a criminalidade”, reforça.

Além disso, ressalta, o bairro possui diversos equipamentos públicos, como o Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), o Estádio Governador Virgílio Távora, uma praça do projeto Mais Infância, policlínica, entre outros. “Tudo isso agora será coberto”, completa Jarbas. 

AMPLIAÇÃO 

Por iniciativa da própria Secretaria de Segurança Pública, o videomonitoramento de Crato deve ser ampliado para 170 prédios públicos. Segundo Jarbas, o processo de licitação está em andamento e o município deve fazer a locação destes equipamentos com expectativa de funcionamento ainda neste ano. “Interessante que cobrirá não só os prédios públicos, mas os logradouros onde eles estão”, reforça. 

Foto: Reprodução / Antônio Rodrigues / Fonte: Diário do Nordeste

Comentarios

Deixe o seu comentário