Aeronaves da Ciopaer já realizaram 50 missões de transporte de vacinas no Ceará com quase 115 horas voadas

_________

Desde que as primeiras doses de vacinas contra a Covid-19 desembarcaram em solo cearense, o Governo do Ceará não tem medido esforços para que a população residente nos quatro cantos do Estado receba os imunizantes. Para isso, todo um aparato estatal foi empregado, que inclui as aeronaves da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS).

--------------- PUBLICIDADE ---------------

-------------------CCEV-------------------

Dentro de seus cronogramas com diversas atividades inerentes ao serviço policial e aeromédico, a frota da Ciopaer passou a realizar as missões humanitárias para a entrega das vacinas.

De janeiro até maio foram 115 horas voadas pelos helicópteros da Coordenadoria da SSPDS empregados nos transportes. Ao todo, foram 50 missões que ocorreram à medida que as doses enviadas pelo Ministério da Saúde desembarcavam no Estado.

Sempre que há a chegada de um novo lote, pouco tempo separa o momento que elas são retiradas do avião no Aeroporto Internacional de Fortaleza – Pinto Martins e seguem no interior de uma aeronave da Ciopaer para as cidades de Acaraú, Aracati, Brejo Santo, Camocim, Juazeiro do Norte, Limoeiro do Norte, Quixadá, Russas e Sobral. É comum a utilização de três helicópteros na realização dos transportes.

“É mais uma importante ação no apoio à saúde dos cidadãos cearenses. Destacando aqui que a Ciopaer também realiza semanalmente diversas operações de voos aeromédicos em apoio à transferência de pacientes. Isso além do trabalho policial desenvolvido pela Coordenadoria. Então, a Ciopaer sempre está em defesa da segurança pública e da saúde dos cidadãos do Estado do Ceará”, pontuou Sandro Caron, secretário da SSPDS.

Nos locais mais distantes

Ao todo, o Estado já recebeu 28 lotes de imunizantes CoronaVac/Butantan, Oxford/AstraZeneca e Pfizer. O último recebimento ocorreu na quarta-feira (26), mas semanalmente o próprio governador do Ceará, Camilo Santana, dialoga com o Ministério da Saúde acerca do envio de mais doses de vacinas aos cearenses. Por meio de uma logística com transportes aéreos, como as aeronaves da Ciopaer, e terrestres, mais de 1,3 milhão de pessoas estão imunizadas contra o patógeno no Estado.

“A nossa logística conta hoje com uma operação semanal com o envolvimento de mais ou menos de 40 pessoas, com distribuições por rotas aéreas e rotas terrestres. Quando a vacina chega por volta de 23 horas, nós já estamos prontos para distribuí-las por volta das seis ou sete da manhã. Então isso tem facilitado muito o acesso da população a essa vacinação”, explica Tarcísio Seabra Filho, gerente da Central Estadual de Armazenamento e Distribuição de Imunobiológicos (Ceadim), órgão da Secretaria de Saúde do Ceará (Sesa). Sempre que há o envio de vacinas, além de tripulantes da Ciopaer, um representante da Sesa acompanha a missão.

O coordenador da Ciopaer, coronel aviador Darley Sousa, comenta que “a missão institucional da Ciopaer é voar para proteger e salvar. Atuando em apoio ao Comitê de Enfrentamento à Covid-19 no Ceará, no transporte de vacinas da Capital aos mais distantes rincões do Estado, nós levamos a esperança e a certeza de que tudo vai dar certo. O Governo do Estado do Ceará, por meio da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social e da Secretaria da Saúde, pode contar sempre com o apoio da Ciopaer”, pontua.

Por falar em esperança, uma história que merece ser comentada é a do subtenente da Polícia Militar do Ceará (PMCE), Cláudio do Nascimento Cardoso, que foi imunizado por doses transportadas de Fortaleza até Juazeiro do Norte pela própria Ciopaer.

O profissional, que é lotado na base da Coordenadoria no Cariri, comenta que logo no envio dos primeiros lotes, ele se perguntava quando também seria imunizado. Ele comenta do orgulho que é atuar na distribuição das vacinas e agradece ao Governo do Ceará que confiou na agilidade dos profissionais empregados na missão.

“O meu sentimento de atuar nessa gloriosa Coordenadoria é de missão cumprida e de gratidão até o presente momento, pois sou dessa unidade desde o início 1995/1996. Iniciei como tripulante e hoje sou supervisor. Quanto à imunização, sem palavras. Pois me lembro quando recebemos as primeiras vacinas para serem distribuídas na região, e ao acondicioná-las na aeronave, pensava eu: quando serei vacinado? E hoje com a praticidade da distribuição das vacinas pela Coordenadoria, já estou imunizado. Primeiro agradeço a Deus e depois ao nosso Governo do Ceará, que acreditou na rapidez de distribuição pela Ciopaer”, disse.

Foto: Tiago Stille e Nivia Uchoa – Ascom Casa Civil

--------------- PUBLICIDADE ---------------

-------------------CCEV-------------------

Fonte: Governo do Ceará

--------------- PUBLICIDADE ---------------

-------------------CCEV-------------------

Comentarios

Comente