Pefoce terá ponto de coleta de DNA para ajuda família de desaparecidos no Ceará

_________

A Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) vai realizar a coleta de DNA de famílias que estejam com parentes desaparecidos. O ponto de coleta faz parte da campanha nacional “Desaparecidos: política nacional de buscas de pessoas desaparecidas”. O objetivo é colaborar para a localização e a identificação dessas pessoas.

--------------- PUBLICIDADE ---------------

-------------------CCEV-------------------

No Ceará, a ação ocorre com a parceria entre a Pefoce e a 12ª Delegacia do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa, que é a Delegacia de Desaparecidos, e a Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública do Ceará.

A Pefoce vai atuar como um ponto de coleta de material genético que será inserido no banco de dados nacional para auxiliar na identificação e na localização dessas pessoas que são procuradas. Como a campanha é nacional, é possível fazer a busca em todo o país e no Distrito Federal.

Boletim de Ocorrência

O primeiro passo para iniciar a busca por um parente é se dirigir até a 12ª Delegacia do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa e registrar o boletim de ocorrência. Para as famílias que moram no interior do Estado, o documento pode ser feito em qualquer delegacia ou por meio da Delegacia Eletrônica (Deletron).

A 12ª Delegacia do Departamento de Homicídios registra os casos de pessoas desaparecidas em Fortaleza e atualiza dois perfis oficiais mantidos nas redes sociais Facebook e Instagram. Os policiais civis da delegacia atualizam os casos investigados pela unidade, com foto e informações sobre a última vez em que a vítima foi vista por parentes e amigos.

Os perfis recebem mensagens com informações sobre o paradeiro dessas pessoas. As imagens com as fotos dos desaparecidos também costumam circular em diversas outras plataformas on-line, contribuindo para disseminar a informação e a imagem do desaparecido.

As famílias podem buscar informações no telefone (85) 3257-4807 ou no (85) 99111-7498, o WhatsApp do Departamento de Homicídios, por onde podem ser enviadas fotos, áudios e vídeos e informações sobre os desaparecidos.

Coleta de DNA

Após registrar a ocorrência, dois membros da família, sendo estes parentes de primeiro grau, como pai e mãe, filhos ou irmãos, deverão ir até a Pefoce para fazer a coleta do material genético. É importante que a família leve também itens de uso pessoal da pessoa que está desaparecida, por exemplo:

escova de dente

aparelho ortodôntico

cordão umbilical

dente de leite

Com o boletim de ocorrência em mãos e itens de uso pessoal/material genético da pessoa desaparecida, os familiares vão até a Pefoce em Fortaleza, ou nos núcleos de Iguatu, Juazeiro, Russas ou Sobral, para realizar a coleta do DNA.

Início das coletas

O período para a coleta do DNA, ou seja, o prazo em que as famílias com pessoas desaparecidas devem se dirigir até a Pefoce é entre os dias 14 a 18 de junho. A coleta do DNA é voluntária, indolor e precedida de assinatura de um termo de consentimento. Lembrando que os familiares devem sempre estar com o boletim de ocorrência em mãos.

Em Fortaleza, o atendimento ocorrerá por meio de agendamento no Núcleo de Perícias em DNA Forense da Pefoce, pelo número (85) 3101.5054. Nos núcleos da Pefoce no interior, também com o boletim de ocorrência, os parentes podem comparecer diretamente às unidades da Pefoce.

Foto: SSPDS

--------------- PUBLICIDADE ---------------

-------------------CCEV-------------------

Fonte: Portal G1 CE

--------------- PUBLICIDADE ---------------

-------------------CCEV-------------------

Comentarios

Comente