Vacinação de grávidas e puérperas no Ceará deve continuar com CoronaVac e Pfizer, recomenda secretaria

_________

A vacinação contra Covid-19 de gestantes e puérperas no Ceará deve seguir com a aplicação das vacinas CoronaVac e Pfizer/BioNTech, conforme recomenda a Secretaria da Saúde (Sesa) do estado. A orientação é válida tanto para aquelas com comorbidades, como as que não têm problemas de saúde.

--------------- PUBLICIDADE ---------------

-------------------CCEV-------------------

A orientação repassada nesta quarta-feira (12) segue, em partes, a determinação do Ministério da Saúde. O órgão ministerial anunciou nesta terça-feira (11) que a vacinação de grávidas e de puérperas no Brasil deve acontecer apenas para mulheres com comorbidades (doenças pré-existentes) e elas devem receber exclusivamente as vacinas CoronaVac e Pfizer.
Liduina Rocha, assessora técnica da Sesa e consultora da Escola de Saúde Pública, justifica a decisão da equipe técnica da Saúde no Ceará:

“Não ha nenhum efeito adverso em literatura com as outras duas vacinas [CoronaVac e Pfizer]. E gestantes, mesmo sem risco habitual, elas têm um potencial, possibilidade de complicação, de morbidade e de letalidade. Portanto, no Ceará a recomendaçao é que se siga aquilo que a literatura internacional […] continua recomendando: gestantes e puérperas devem ser vacinadas, nós devemos manter no calendário de vacinação, independente de haver comorbidade ou não”.

No Ceará, 27 municípios vacinaram gestantes, possivelmente na primeira e segunda fase da imunização. “Gestantes e puérperas devem ser vacinadas. Nós já vínhamos mantendo no calendário de vacinação, independente de haver comorbidade ou não. Reações graves são extremamente raras”, explica Liduina.
De acordo com ela, em Fortaleza houve, até esta quarta, 3.414 gestantes vacinadas:

473 com a CoronaVac

273 com a Astrazeneca

e 2.668 com a da Pfizer.

Já em relação às puérperas, foram 1.080 vacinadas:

334 com CoronaVac

116 com Astrazeneca

e 330 com a Pfizer.

Vacinação em Fortaleza

Fortaleza suspendeu a vacinação contra a Covid-19 de gestantes e puérperas sem comorbidades nesta quarta-feira (12). O anúncio foi feito pela secretária de saúde do município, Ana Estela Leite. Na capital cearense, a vacinação desse público era realizada com o imunizante da Pfizer. Agora, a prefeitura aguarda a decisão do Governo do Estado, que está reunido com especialistas para decidir como vai ocorrer a vacinação em grávidas e puérperas.

“Aqui em Fortaleza nessa terceira fase estávamos vacinando as gestantes e puérperas com a vacina da Pfizer. Está havendo uma discussão do Comitê Estadual, com várias autoridades da ginecologia e obstetrícia, por enquanto, a gente mantém suspensa aqui no município, até que haja uma nova deliberação”, disse Ana Estela.

No início da noite desta terça-feira, a Sesa adiantou que o uso da vacina Oxford/Astrazeneca, em gestantes no Ceará seria discutido nesta quarta-feira (12). O órgão estadual informa que, até esta terça-feira (11), o monitoramento de Eventos Adversos Pós-Vacinação (EAPV) COVID-19 não encontrou complicações desta vacina em gestantes.

Foto: Prefeitura de Ipatinga/Divulgação

--------------- PUBLICIDADE ---------------

-------------------CCEV-------------------

Fonte: Portal G1

--------------- PUBLICIDADE ---------------

-------------------CCEV-------------------

Comentarios

Comente