Aspirina pode reduzir risco de morte e internação por COVID-19 em UTI, revela estudo

_________

 

Um estudo conduzido pela Universidade George Washington, nos Estados Unidos, mostrou que o uso de aspirina em pacientes hospitalizados com COVID-19 pode reduzir o risco de intubação, internação em UTI e morte.

--------------- PUBLICIDADE ---------------

-------------------CCEV-------------------

Os pesquisadores analisaram registros de saúde de 412 pacientes internados em diversos hospitais dos EUA entre março e julho de 2020. O resultado foi divulgado na revista científica Anesthesia & Analgesia.

O levantamento apontou que 24% do total havia recebido aspirina em até 24 horas após a admissão hospitalar ou 7 dias antes da admissão. Outros 76% não receberam o medicamento. As informações são da revista Veja.

O estudo ainda mostrou que a aspirina reduziu em 44% o risco de ventilação mecânica, 43% das chances de os pacientes serem internados em UTI e 47% do risco de morte.

Os pesquisadores acreditam que o efeito se deve ao seu efeito anti-coagulante.

Equipe Focus / Foto: Bigstock

--------------- PUBLICIDADE ---------------

-------------------CCEV-------------------

[AVISO] É importante ressaltar que qualquer medicação deve ser indicada por um médico para o eventual tratamento da COVID-19. Inclusive, a Aspirina pode apresentar diversos efeitos colaterais. Apesar de ser comercializado sem receita, o medicamento deve ser usado com moderação já que pode dificultar a coagulação do sangue, por exemplo. Popularmente, este efeito de antiagregante plaquetário é conhecido por “afinar” o sangue. Além disso, o uso não é recomendado para inúmeros pacientes com determinadas condições preexistentes. Automedicação pode ser perigosa, consulte seu médico!

Comentarios

Comente