Alinhamento de Júpiter e Saturno: planetário do Ceará transmite evento astronômico ao vivo

_________

Nesta segunda-feira (21), os dois maiores planetas do Sistema Solar, Júpiter e Saturno, estarão alinhados e poderão ser vistos da Terra, inclusive a olho nu, algo que não acontece há quase 800 anos.

--------------- PUBLICIDADE ---------------

-------------------CCEV-------------------

O evento também poderá ser visto por meio de transmissão ao vivo do canal Astronomia da Seara da Ciência a partir das 18h, momento em que o fenômeno vai acontecer. A iniciativa é do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, por meio do Planetário Rubens de Azevedo e da Seara da Ciência da Universidade Federal do Ceará.

Durante a transmissão, o professor Ednardo Rodrigues, da equipe do Grupo de Astronomia da Seara (GAS Interestelar) fará comentários sobre o fenômeno.
De acordo com o professor Dermeval Carneiro, diretor do Planetário Rubens de Azevedo e coordenador de Astronomia da Seara da Ciência da UFC, além de ofertar ao público informações sobre astronomia e ciência, a live ajuda a preservar o isolamento social ante a pandemia de Covid-19.

O fenômeno conhecido como “grande conjunção” demora décadas para acontecer, mas desde o ano 1200 que os dois maiores planetas do sistema solar não estavam tão próximos um do outro. Eles só foram vistos juntos a olho nu há quase 800 anos, devendo acontecer novamente apenas em 2080.

“Como todo evento astronômico, sua visibilidade dependerá das condições meteorológicas, mas poderá ser visto também a olho nu. Interessados devem olhar para o oeste, de um lugar com pouca poluição luminosa e sem obstáculos para a observação”, afirma Dermeval.

De quase todos os lugares

Não importa onde você esteja, a grande conjunção será visível de quase todos os lugares da Terra, cerca de uma hora após o pôr do sol.

Quem estiver perto do Equador poderá observar o fenômeno melhor, pois vai durar mais ali.

Claro que, como todo evento astronômico, sua visibilidade dependerá em grande medida das condições meteorológicas: é necessário que não chova e que o céu esteja limpo.
Devido à sua luminosidade, pode ser visto sem binóculos ou telescópio. Você deverá olhar para o oeste, mas é importante que você o faça de um lugar claro como um parque ou um piso elevado, sem nada à sua frente que obstrua sua visão e, se possível, com pouca poluição luminosa.

Se você tiver um pequeno telescópio ou um par de binóculos, eles podem permitir que você veja as quatro maiores luas de Júpiter orbitando este planeta gigante.

À primeira vista, os dois planetas aparecerão quase “colados” no céu crepuscular da noite. O maior e mais brilhante ponto de luz é Júpiter.

Foto: Seara da Ciência/UFC

--------------- PUBLICIDADE ---------------

-------------------CCEV-------------------

Fonte: Portal G1 CE

Comentarios

Comente