Pazuello: Contrato para produzir vacina de Oxford será assinado ‘em poucos dias’

O ministro interino da Saúde, o general Eduardo Pazuello, e a Fundação Oswaldo Cruz acreditam que o contrato de compra e produção da vacina contra a Covid-19 da Universidade de Oxford, em parceria com a farmacêutica, também inglesa, AstraZeneca, será assinado nesta semana.
Nesta segunda-feira (31), Pazuello se encontrou mais uma vez com a presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, para fecharem os últimos detalhes da negociação que dura 3 meses.

--------------- PUBLICIDADE ---------------

-------------------CCEV-------------------

“Estou recebendo a apresentação de todo processo e da documentação completa com avaliação técnica/jurídica. A assinatura será agendada no mais curto prazo. Coisa de poucos dias”, afirmou o interino à reportagem da CNN.
Em 27 de junho, o Ministério da Saúde anunciou o envio de uma carta de interesses à Oxford para descrever o que seria possível para um contrato com o Brasil. Tudo deve se manter como o solicitado: 100 milhões de doses, entre o final deste ano e o meio de 2021, e a transferência da tecnologia para que a Fiocruz consiga produzir sozinha o imunizante, a partir de abril de 2021.
Com a assinatura do governo brasileiro firmada e enviada à universidade inglesa, o Brasil já deve receber 30 milhões de doses em outubro. O valor para os cofres públicos será de R$ 1,9 bilhão. Os primeiros brasileiros a serem vacinados farão parte do grupo de risco e dos profissionais de saúde.
O imunizante ainda está sendo testado pelo mundo todo na fase 3, em humanos. Aqui, no Brasil, 5 mil voluntários fazem parte do estudo desde julho. A vacina está sendo testada em dose dupla e vem trazendo resultados positivos.

Foto: Sean Elias – 04.abr.2020 / Divulgação / Reuters

--------------- PUBLICIDADE ---------------

-------------------CCEV-------------------

Fonte: CNN Brasil

Comentarios

Comente