Darlan acusa Glêdson de traição em bate-boca nas redes sociais

Um bate-boca entre a ex-vereadora Elizabeth Oliveira e o presidente da Câmara de Juazeiro do Norte, Darlan Lobo (MDB), pode colocar em xeque a pré-candidatura a prefeito do vereador Glêdson Bezerra (Podemos). Darlan fez revelações que podem comprometer a imagem do ex-presidente da Câmara. Em áudio veiculado nas redes sociais, Darlan acusa Glêdson de trair um grupo de dez vereadores quando venceu a eleição para a presidência da Câmara, em 2016. O áudio é uma resposta a outro áudio de Elizabeth, mãe de Glêdson, onde ela se diz decepcionada com a postura de Darlan, em “levantar falso” sobre sua pessoa.

--------------- PUBLICIDADE ---------------

-------------------CCEV-------------------

“Eu nunca esperava isso de você Darlan, nunca. […] Pra mim, foi uma decepção. Mas, não tem problema não. A gente recebe as traições. Deus te abençoe!”, diz a mãe de Glêdson em áudio. A ex-vereadora não detalha as circunstâncias nem o teor da provável traição. Em resposta, Darlan disse: “Não estou levantando falso. Tudo que disse é verdade. […] eu vou pedir para cada vereador, por questão de honra, e vou mandar o vídeo para você”. Darlan fala que Glêdson se vendeu ao Capitão Vieira Neto. “Você quer que Capitão diga como foi o esquema? Ele diz!” ressalta.

Darlan cita, ainda, outras situações em que Glêdson teria voltado a trair. “Traiu dez lá (Brejo Santo) e quando os dez chamaram ele para ser oposição ao prefeito (Arnon), ele traiu também. Quando foi pra votar no deputado, ele foi votar em Odorico, traindo Zé Arnon de novo”. Darlan finaliza revelando 20 nomeações feitas por Glêdson. “E o Estefhania (Hospital Tasso Jereissati) foi dado de porteira fechada. Eu estava na porta quando entrou 20 pessoas na Saúde”, disse. Tudo teria sido testemunhado pelos vereadores Nivaldo Cabral, Adauto e David Araújo.

“Elizabete, vamos devagar. Diga a ele (Glêdson) que vá devagar. Sem atacar os colegas, sem chamar vereador de preguiçoso […]. Peça para o povo dele blindar vereador, porque eu sou presidente dos vereadores, viu? Mexeu com vereador, mexeu comigo!” concluiu Darlan.

O mesmo assunto foi abordado na sessão de retorno aos trabalhos, na terça-feira (04). Glêdson reclamou de críticas por destacar, em suas redes sociais, uma postagem relembrando a lei que igualou o recesso parlamentar de Juazeiro ao do Congresso, como de sua autoria. Explicou que a Câmara revogou sua lei em 2013, instituindo o retorno da lei antiga, que ficou conhecida como Lei da Preguiça.

O ex-presidente se referiu a um áudio do primeiro vice-presidente da Casa, Capitão Vieira Neto, dizendo que a lei em vigor não foi autoria de Glêdson. No áudio, Vieira apresentada uma lei de abril de 2013, de sua autoria com o vereador Tarso Magno, que iguala novamente o recesso ao Congresso. Segundo Glêdson, sua emenda modificando o Regimento Interno foi aprovada em fevereiro de 2012 e uma lei de 2013 revogou sua emenda e retornou o recesso para 90 dias. Diante da repercussão negativa, a Câmara voltou atrás, aprovando a nova lei de Vieira e Tarso.

Vieira disse ter sido procurado por outros vereadores, reclamando de como o vereador Glêdson tem se colocado. Uma das citações na postagem de Glêdson que chateou os vereadores seria a frase “Xô preguiça”. A discussão teria sido o estopim para a crise instalada entre o presidente Darlan e Elizabeth. Glêdson ainda não se manifestou sobre o assunto.

--------------- PUBLICIDADE ---------------

-------------------CCEV-------------------

Jornal do Cariri

Comentarios

Comente