Passa de 200 número de casos de coronavírus no Ceará, segundo Secretaria de Saúde

Mais 26 casos de coronavírus (Covid-19) foram contabilizados pela Secretaria de Saúde do Ceará, no informe epidemiológico desta quarta-feira (25). Ao todo, o levantamento aponta que 211 pessoas foram contaminadas pela doença desde o início de casos no Estado, em 15 de março. Na comparação entre os dados de terça (24) e esta quarta-feira, o aumento foi de 14%.Fortaleza tem o maior número de pessoas infectadas, 196 casos a mais em relação ao último informe. Em seguida aparecem Aquiraz (6), Sobral (4), Juazeiro do Norte (1), Fortim (1) e Mauriti (1). Os dois casos de pessoas infectadas seguem sendo de residentes em São Paulo (1) e Uberlândia, Minas Gerais (1).

--------------- PUBLICIDADE ---------------

-------------------CCEV-------------------

O Ceará continua sem registro de óbitos por coronavírus. O informe epidemiológico não detalha mais a quantidade de casos suspeitos e descartados, como fazia no início da cobertura.

--------------- PUBLICIDADE ---------------

-------------------CCEV-------------------

Fechamento de comércio
Com o aumento dos casos confirmados e suspeitos, Camilo Santana publicou decreto para o fechamento de bares, igrejas, restaurantes, barracas de praia, shoppings, cinemas, lanchonetes e demais estabelecimentos comerciais não essenciais no Ceará por 10 dias. A medida passou a valer na sexta-feira (20), seguindo até o próximo dia 29.

O transporte intermunicipal no Estado e a circulação de metrô e VLTs foram suspensos. Foi decretado ainda o fechamento das divisas com outros Estados e o ponto facultativo dos servidores estaduais foi prorrogado.

O que fecha:

Bares, restaurantes, lanchonetes e estabelecimentos congêneres
Templos, igrejas e demais instituições religiosas;
Museus, cinemas e outros equipamentos culturais, público e privado;
Academias, clubes, centros de ginástica e estabelecimentos similares;
Lojas ou estabelecimentos que pratiquem o comércio ou prestem serviços de natureza privada;
Shopping center, galeria/centro comercial e estabelecimentos congêneres, salvo quanto a supermercados, farmácias e locais que prestem serviços de saúde no interior dos referidos dos estabelecimentos;
Feiras e exposições;
Indústrias, excetuadas as dos ramos farmacêutico, alimentício, de bebidas, produtos hospitalares ou laboratoriais, obras públicas, alto forno, gás, energia, água, mineral, produtos de limpeza e higiene pessoal, bem como respectivos fornecedores e distribuidores.

O que não fecha:

Órgãos de imprensa e meios de comunicação e telecomunicação em geral
Serviços de call center
Estabelecimentos médicos, odontológicos para serviços de emergência, hospitalares, laboratórios de análises clínicas, farmacêuticos, psicológicos
Clínicas de fisioterapia e de vacinação
Distribuidoras e revendedoras de água e gás
Distribuidores de energia elétrica
Serviços de telecomunicações
Segurança privada
Postos de combustíveis
Funerárias
Estabelecimentos bancários
Lotéricas
Padarias
Clínicas veterinárias
Lojas de produtos para animais
Lavanderias
Supermercados/congêneres

--------------- PUBLICIDADE ---------------

-------------------CCEV-------------------

Fonte Diário do Nordeste

Comentarios

Comente