Ceará registrou três notificações de meningite em 2019

Febre alta, vômitos, dores na cabeça, no pescoço, mal-estar, rigidez na região da nuca e manchas roxas na pele são alguns dos sintomas que uma pessoa que está com meningite pode apresentar. Em 2019, três casos de doença meningocócica foram notificados pela Secretaria da Saúde do Estado do Ceará (Sesa), duas em

Fortaleza e uma em Paracuru. 
Na última sexta-feira (1°), o neto de sete anos do ex-presidente Lula morreu vítima de meningite meningocócica. Arthur Araújo Lula da Silva deu entrada, na manhã de ontem, no Hospital Bartira, da rede D’Or, em Santo André, no ABC paulista, com quadro instável, segundo boletim médico divulgado pela instituição. O quadro da criança se agravou, e, às 12h11, ele morreu.

De acordo com a pasta, 19 casos foram citados em relação a outros tipos de meningite, divididos entre Capital, Região Metropolitana e Interior. Os números são do último levantamento do órgão, atualizado no último dia 23 de fevereiro. Casos suspeitos ou em investigação não aparecem na publicação semanal, ou seja, não quer dizer que foram confirmados. 

Em maio de 2018, 37 dos 98 casos que foram confirmados se concentraram nas faixas etárias entre 20 a 29 anos, seguidos de 30 a 39 anos, com predomínio no sexo masculino, exceto nas pessoas que tinham entre 10 a 14 anos, situação em que homens e mulheres se igualam quanto ao predomínio da doença. 
Do total, 49 dos casos são de meningites “não especificadas”, 23 virais e 19 bacterianas. Ano passado, de acordo com a Sesa, houve confirmação de casos em 32 municípios. Três apresentaram óbitos até a semana epidemiológica 20. 

Endemias A meningite ocorre devido a uma inflamação nas membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal. Ela pode ser causada por bactérias, vírus, parasitas e fungos, ou até mesmo processos não infecciosos. No Brasil, a doença é endêmica, com ocorrência esporádica de surtos. 
O meningococo é a principal causa de meningite bacteriana no Brasil. O diagnóstico e o tratamento tardios podem impactar diretamente na taxa de letalidade. Se vacinadas, a imunização pode garantir a proteção durante um longo período às pessoas, fazendo com que haja uma diminuição de incidência de endemias.  

   (Diário do Nordeste)

Cariri como eu vejo Bala Acidente miséria sitemiseria Noticias juazeiro badalo blogo do gesso blog do gesso crato regional g1 R7

Comente