Promotores apuram denúncia de intolerância religiosa em escola

Promotores do Ministério Público do Estado do Ceará e do Ministério Público Federal notificaram a Secretaria de Educação de Juazeiro do Norte, anteontem, com pedido de esclarecimentos acerca de denúncia da professora Maria Firmino, da Escola Municipal Tarcila Cruz, que protocolou Boletim de Ocorrência na Delegacia de Polícia local queixando-se de suposta intolerância, que teria motivado seu afastamento da condição de docente, após ministrar aula de Religião sobre Patrimônio Material e Imaterial e Natural de Matriz Africana no último dia 20/04.

--------------- PUBLICIDADE ---------------

-------------------CCEV-------------------

A denunciante disse à imprensa que foi transferida para funções burocráticas, com informação de que a aula teria provocado mau estar entre alunos, mas, esta versão não foi confirmada pela SEDUC. Ontem, a secretária de Educação, Maria Loureto, disse que houve precipitação da professora, que decidiu por conta própria afastar-se, embora continue no quadro de magistério da unidade escolar. A escola, disse ainda a secretária, para não deixar alunos sem aulas, indicou um substituto.

Folha da manhã

Comentarios

Comente